PERFIL

Fernando Kavera é escritor e compositor. Em 2005 lançou seu primeiro livro, Bazófias Peristálticas, pela Editora Nobel. Como consequência desse lançamento foi convidado a participar da 19º Bienal Internacional do Livro de São Paulo (2006). O conto “Falência Múltipla” desse livro foi escolhido como um dos temas da prova de vestibular de Língua Portuguesa e Literatura de 2008 da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais, juntamente com textos de Guimarães Rosa, Machado de Assis, Darcy Ribeiro e Moacyr Scliar. Em 2011, pela Editora Scortecci (São Paulo), lançou seu primeiro romance Abaixo da impiedosa abóbada, inaugurando uma trilogia sobre música com notas em cinema. Em 2012 lançou Sinfonia Cordisburgo, recebendo crítica elogiosa do ensaísta Rodrigo Gurgel, crítico da Folha de São Paulo. Diz ele: “Sinfonia Cordisburgo prende a atenção do leitor graças, principalmente, aos diálogos coerentes e sugestivos, cuja fluência cria verdadeira interação entre os personagens, seja com humor ou por meio de falas que refletem um clima íntimo e prazeroso.” Em 2015 fecha a trilogia com Primeiro as horas, segundo os segundos e, por fim, o fim. Esses três livros foram roteirizados para cinema pelo próprio. Em 2017 lançou seu primeiro livro de poemas, O Vazio é o começo deTudo, distribuído nas principais universidades europeias pela empresa alemã Susanne Bach Books. Lançou 16 CDs, todos autorais, em diversos campos musicais, do rock progressivo ao jazz e ao clássico. Em seu primeiro CD, fk, tocou todos os instrumentos sozinho. A obra recebeu de Arthur Dapieve de O Globo o epíteto de “Pop Progressivo”. Oswaldo Malagutti Jr., da Revista Música e Tecnologia, escreveu: “Embora Kavera tenha se inspirado em Pink Floyd, o resultado sonoro é ótimo e tenho certeza de que agradará aos mais exigentes ouvintes”. Já seu CD conceitual A theme for you, onde também tocou todos os instrumentos sozinho, recebeu o seguinte da principal publicação de rock progressivo da Polônia, a ArtRock: “Surpreendentemente agradável, canções cheias de calor e dinâmica, qualidade ótima, em uma palavra, Homem-Orquestra”. Em razão de seu CD Dor, Guitarra e Endorfina, Kiko Ferreira, do jornal Estado de Minas, chamou Kavera de “Mago dos estúdios”. Seu CD The Silence, the Jazz and the Blues contou com as participações do saxofonista inglês Nick Payton, do baterista norte americano Jimmy Duchowny e dos brasileiros Ricardo Fiuza e Enéias Xavier. Após lançar seu CD Prelúdios, Sonatas e Serenatas para Violão Solo, performado por cinco dos melhores violonistas do país – Juarez Moreira, Weber Lopes, Geraldo Vianna, Gilvan de Oliveira e Tabajara Belo -, Fernando Kavera foi convidado a participar da Filarmônica Brasileira na 4ª Edição do Festival Internacional Leo Brouwer. Esse CD foi incorporado ao Acervo do Centro de Documentação da Casa de Cultura da Universidade Estadual de Londrina e da Orquestra Sinfônica de Londrina. Em 2013 gravou sua primeira sinfonia em quatro movimentos, Sinfonia Cordisburgo, com a Orquestra Sinfônica Musicoop regida pelo maestro norte-americano Mark Lambert. Em 2014 gravou sua segunda sinfonia – também em 4 movimentos –, Sinfonia Minas Gerais, com os mesmos integrantes, desta feita com a participação do Coro Madrigale (com arranjos de coro do maestro Arnon Oliveira) e voz de Rogério Falabella, declamando um poema musical. O crítico Carlos Buzelin do jornal Hoje em Diaescreveu: “Sinfonias encantadoras dotadas de pureza e nascidas de iluminado senso estético”. Lucas Buzatti de O Tempo disse: “Bebendo na fonte de Villa Lobos e Debussy, Kavera dá vida a paisagens musicais que se misturam com as bucólicas montanhas de Minas. Ele é o nosso Prata da Casa”. Em 2018, finalizou a Sinfonia Belo Horizonte.

Leia mais sobre (Wikipédia)

Veja vídeos (Youtube)